Imagem de família ao pôr do sol, mostrando a importância da proteção com seguro de vida.

O ano de 2020 trouxe muitas reflexões sobre a fragilidade da vida. Afinal, foi um período marcado pela eclosão da pandemia do novo coronavírus, que debilitou a economia e vitimou muitas pessoas. Como resultado, o medo e a preocupação sobre o futuro aumentaram. Sendo assim, muitos passaram a enxergar a importância de ter um seguro de vida.

Esta é uma das modalidades de seguro mais conhecidas e eficientes em momentos de muita incerteza como o atual.

Dispor de um produto como este é uma maneira eficiente de reduzir o impacto econômico, caso alguma eventualidade possa acontecer com o provedor da família, por exemplo. Isso porque os demais integrantes não ficarão sem ajuda financeira até colocar as coisas em ordem.

O que é um seguro?

Antes de compreender o que é um seguro de vida, é importante o conhecimento sobre o seguro de maneira geral. Provavelmente, esta não é a primeira vez que você se depara com este assunto ou ouve falar nesta garantia.

Em suma, o seguro é um contrato que envolve duas partes, uma pessoa física ou jurídica e uma seguradora.

Neste documento estarão especificadas as informações sobre os dois participantes do acordo, além do patrimônio em questão ou qualquer outro objeto segurado. Eles terão, a partir do momento da assinatura do papel, uma proteção contra algum tipo de risco, que também estará detalhado no contrato.

Mas, afinal, o que é o seguro de vida?

No Brasil, o seguro de vida ainda não é tão popularizado como o de automóvel, por exemplo. Até porque os brasileiros não têm o hábito de sair da concessionária sem estar com a papelada do seguro do carro pronta. É uma questão cultural.

Talvez a disparidade no número de adesões de seguros de carro para os seguros de vida esteja relacionada a uma falta de conhecimento sobre o assunto e também das condições que envolvem este último benefício.

De modo geral, o seguro de vida garante a proteção do segurado e dos seus favorecidos, em casos de imprevistos, como morte ou invalidez do titular. Ele é uma maneira básica e indispensável de proporcionar uma garantia para o seu núcleo familiar.

Como funciona o seguro de vida?

Por meio de pagamentos mensais, chamados de prêmios, as seguradoras oferecem esta garantia ao indivíduo. Sendo assim, ele pode negociar uma espécie de indenização financeira aos seus beneficiários. O acionamento do seguro é mediante algum imprevisto do titular, ou seja, situações que estejam discriminadas nas apólices – nome dado ao contrato do seguro.

Veja a seguir quais são as situações mais comuns em que um seguro de vida é acionado:

  • Morte;
  • Invalidez;
  • Doenças graves (câncer, AVC, cirurgias de coração e infarto);
  • Auxílio ou Assistência Funeral – SAF;
  • Diárias por Internação Hospitalar – DIH;
  • Diárias de Incapacidade Temporária – DIT;
  • Despesas Médicas, Hospitalares e Odontológicas – DMHO.

É importante ressaltar que a cobertura de cada seguro é diferente, ou seja, varia em função dos termos contratados pelo segurado.

Logo, ele pode abranger a família ou não. Além disso, a apólice pode combinar alguns outros serviços, como quitação de dívidas, seguro-habitacional, cobertura de despesas com educação e seguro viagem. É uma espécie de mistura de garantias que ultrapassa a simples indenização aos parentes do segurado.

Seguro individual X Seguro coletivo

A apólice do seguro de vida pode ser montada especificamente para um segurado, ou de forma coletiva. Dessa forma, elas vão apresentar diferenças na sua composição. Pensando nisso, separamos as principais distinções do seguro individual e coletivo. Confira!

Na modalidade do seguro de vida individual, a apólice assegura os riscos apenas de um segurado, que no caso é o contratante do plano. O aspecto positivo envolvido nela é a personalização do benefício, ou seja, ela é altamente adaptada ao estilo de vida do indivíduo, a profissão e o seu interesse.

Portanto, o prêmio – pagamento que o segurado faz ao contratar o seguro – é calculado de acordo com os dados anteriores. Entretanto, o custo de um seguro individual pode ser maior que o coletivo e apresentar diferença por faixa etária também. Mas, apesar de mais caro, ele estará bastante adaptado ao segurado, o que torna esta alternativa atraente aos olhos do beneficiário.

Já o seguro de vida coletivo, é realizado por uma empresa, sindicato ou associação. Um deles ficará responsável pela negociação das garantias, coberturas, formato dos produtos e capital segurado. Nesse sentido, o segurado que opta por esta modalidade de seguro de vida adquire um produto previamente elaborado.

Em outras palavras, não há uma adequação específica a realidade do segurado, pois a apólice do seguro já vem “pronta”. E, como resultado, pode não englobar todas as necessidades dele. Vale mencionar que, na maioria das vezes, é uma alternativa mais barata e sem variação de faixa etária, quando comparada ao seguro individual.

Sucessão

Dispor de qualquer garantia, frente aos imprevistos que a vida pode reservar, é uma grande vantagem. Ter um seguro de vida concretiza uma proteção aos riscos que qualquer indivíduo pode estar vulnerável. Afinal, a gente nunca sabe o que o futuro pode nos reservar. E se você acha que esse pode ser o custo alto, saiba que é possível se proteger com valores como 100 reais por mês.

Como forma de tornar esta modalidade ainda mais atrativa para a população, no Brasil, eles são isentos de Imposto de Renda. Além disso, o artigo 794 do Código Civil mostra que o seguro de vida não tem caráter de herança, sendo assim, não faz parte do inventário, em caso de falecimento do segurado. Ou seja, além das proteções durante a vida, ele também pode ser uma excelente ferramenta para otimizar a sucessão patrimonial.

A liberação do patrimônio é bem mais rápida e fácil, sem a necessidade de pagamento do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis – ITCMD. O informado pela Superintendência de Seguros Privados – SUSEP é de que o dinheiro fica disponível em, no máximo, 30 dias depois da entrega da documentação necessária.

Vale ressaltar que o capital a ser pago é enviado ao beneficiário da forma como está descrito previamente no contrato. Então, pode ser encaminhado de uma única vez ou mensalmente, como uma espécie de renda.

Disposições finais sobre o seguro de vida

Por fim, é interessante pesquisar o tipo de seguro que mais se adequa a sua necessidade, objetivo e, claro, ao seu bolso. Também é fundamental uma busca pela seguradora que apresenta as melhores condições para a sua realidade, portanto, faça uma análise antes de fechar negócio. Por último, toda atenção é pouca na hora da leitura do contrato, por isso, observe todas as condições e os pequenos detalhes, e busque um profissional que te ajude e não um que apenas venda aquela solução para você!

Na Conquest trabalhamos com as maiores seguradoras do país e fazemos um planejamento para trazer a você apenas os seguros que fazem sentido no seu momento de vida. E mais, esse seguro faz parte de um planejamento financeiro, então analisamos como ele se complementa com outros produtos do mercado, evitando que você contrate um produto para a finalidade errada. Se quiser tirar alguma dúvida sobre seguro de vida, converse com um de nossos planejadores.

Escreva um comentário